Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

ATENDIMENTOS DE SAÚDE PÚBLICA EM CABO FRIO NO ÚLTIMO FINAL DE SEMANA E PREVISTO PARA ESSA SEGUNDA-FEIRA (29/8)

Foto divulgação é postada em homenagem pelo Blog Álvaro Neves "O Eterno Aprendiz" ao funcionários da saúde municipal diretamente envolvidos no bem-estar e atendimento dos pacientes em estado de internação.  



Segundo informações os atendimentos das instituições de saúde do município de Cabo Frio durante o final de semana, foram conforme abaixo listados:


Nos últimos dias 26, 27 e 28/8 foi realizados um total de 636 atendimentos no Hospital HCE de São Cristóvão. 


Na UPA Tamoios foi registrado 782 atendimentos. 

Hospital Tamoios realizou 597 atendimentos. 

Hospital Otime Cardoso dos Santos também foi registrado 214 atendimentos.





O setor de Combate a Vetores da Vigilância Sanitária, órgão ligado à Secretaria Municipal de Saúde de Cabo Frio, realiza uma ação que tem por objetivo diminuir consideravelmente os índices de infestação em vários bairros da cidade, com uma escala diária. Nesta segunda-feira (29), as equipes vão percorrer  áreas alagadas e vistoriar charcos nos bairros.



*Caminho Verde 

*Guriri

*Parque Central 

*São Cristóvão 

*Guarani 

*Praia do Siqueira

*Manoel Corrêa 

*Estrada de Perynas



O setor de combate a vetores está localizado na Rua José Maria Gil, s/n°, bairro Braga. O telefone para contato é (22) 2644-5271.



Att: Simone Carvalho, lotada na Assessoria de Imprensa da Secretária de Saúde de Cabo Frio.

COM A VOZ EMBARGADA PELO CHORO A PRESIDENTE AFASTADA DILMA ROUSSEFF REALIZA A SUA ÚLTIMA DEFESA CONTRA O SEU IMPEACHMENT





Muita das vezes com a sua voz embargada pelo chora a presidente afastada Dilma Rousseff começou às 9h40 o quarto dia de julgamento da presidenta afastada Dilma Rousseff no processo de impeachment que enfrenta no Senado, acusada de crime de responsabilidade.

Depois de chegar ao Congresso Nacional acompanhada do cantor Chico Buarque e do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, a petista foi conduzida ao plenário pelo presidente do Senado, Renan Calheiros.

Emocionando-se por mais de uma vez durante o discurso diante de senadores na sessão de julgamento do processo de impeachment, a presidente afastada Dilma Rousseff afirmou hoje (29) que jamais renunciaria ao mandato, mesmo sob a forte pressão feita por seus adversários políticos.  

“Jamais o faria porque tenho compromisso inarredável com o Estado de Direito. Confesso que a traição e as agressões verbais me assombraram e, em alguns momentos, muito me magoaram, mas sempre foram superadas pela solidariedade de milhões de brasileiros pelas ruas”, afirmou.

Dilma falou por mais de 40 minutos na abertura do quarto dia de julgamento e exaltou a força recebida das mulheres. “Nosso povo esbanjou criatividade e disposição para a luta contra o golpe. As mulheres me cobriram de flores e me protegeram com solidariedade”, disse.

A petista afirmou que respeitará qualquer posicionamento, agradeceu o esforço de seus aliados no Senado e direcionou um apelo aos indecisos. “Cassar meu mandato é como me submeter a uma pena de morte política”, afirmou, lembrando que, por mais de uma vez, encarou de frente a morte, como no período em que enfrentou um câncer. “Hoje, eu só temo a morte da democracia pela qual muitos de nós aqui lutamos. Não nutro rancor pelos que votarão pela minha destituição”, afirmou.

Ao final da fala da petista, apesar dos apelos do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, Dilma foi bastante aplaudida por seus apoiadores que acompanham a sessão nas galerias dentro do plenário do Senado. Foi necessário suspender o julgamento por alguns minutos para que a ordem fosse restabelecida.

Acusações

Em seu pronunciamento, Dilma afirmou que os decretos na área econômica não afetaram a meta fiscal, foram editados de acordo com as regras e “apenas ofereceram alternativas para uso de recursos”. Segundo ela, diferentemente do que adversários políticos afirmam ao atribuir aos decretos os atuais problemas fiscais do país, eles ignoram a forte queda de receita e contingenciamento de recursos feito em 2015, “o maior contingenciamento da nossa história”.

Dilma repetiu argumentos defendidos em seu nome ao longo do processo, afirmando que a orientação dada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) sobre a edição destes decretos foi alterada em outubro de 2015, meses depois de serem publicados.

“Os decretos foram editados em julho e agosto de 2015 e somente em outubro o TCU aprovou nova interpretação. Querem me condenar a assinar decretos que atendiam demandas da população e do próprio Judiciário? Decretos que somados não implicaram em nenhum centavo de gasto a mais que comprometeria a meta fiscal”, afirmou.

Golpe

Na parte final do discurso, Dilma Rousseff fez um apelo ao senadores. "Não aceitem um golpe que, em vez de solucionar, agravará a crise brasileira", disse.

"Peço que façam justiça a uma presidenta honesta, que jamais cometeu qualquer ato ilegal. Votem, sem ressentimento, o que cada senador sente por mim e o que nós sentimos uns pelos outros importa menos neste momento do que aquilo que todos nós sentimos pelo país e pelo povo brasileiro", afirmou. "Peço que votem contra o impeachment e pela democracia", concluiu.

Ao rebater as acusações sobre atrasos no repasse de recursos aos bancos públicos responsáveis pelo pagamento de benefícios de programas sociais como o Plano Safra, Dilma afirmou que a lei atribui ao Ministério da Fazenda a competência sobre esta política. Segundo ela, novamente o TCU expediu uma orientação posterior a seu ato.
Ao iniciar a sua defesa a presidente Dilma Rousseff que mesmo mediante a ameaça de alguns senadores que apoia o processo de impeachment que a palavra "golpe" não seria bem recebida durante a referida defesa, sendo replicada em um tom a altura. Mesmo assim  a presidente afastada não se furtou e expressa-la em auto e bom tom. 



Fonte: Agência Brasil. 

MINISTRO RICARDO LEWANDOWSKI ABRE A SESSÃO EM QUE A PRESIDENTE DILMA FARÁ A SUA ÚLTIMA DEFESA FRENTE AO SENADO

Foto: Em pronunciamento, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, fotógrafo Edilson Rodrigues/Agência Senado. 




Neste momento o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, realiza abertura da Sessão do Senado Federal e faz a leitura dos regulamentos e normas vigente para a Sessão da manhã desta segunda-feira (29), onde a presidente afastada Dilma Rousseff fará a sua última defesa oral e poderá responder a perguntas  de 47 senadores já estão inscritos para questioná-la. 

Durante a leitura das normas vigentes o presidente da Sessão ministro Ricardo Lewandowski deixou claro que todos profissionais da Casa, assessores e convidados são todos bem vindos, mas, conforme rege o normas não será permitido a manifestação verbal e por meio de palmas durante a referidas Sessão.  Sendo os infratores sujeitos a ser retirado do interior do Senado Federal.

Cada Senador um terá cinco minutos e Dilma terá tempo livre para as respostas. Antes de responder, a petista irá dispor de 30 minutos para sua defesa, mas, segundo o presidente da sessão do julgamento, ministro Ricardo Lewandowski, este tempo poderá ser prorrogado de acordo com a necessidade da petista.



DILMA E LULA JÁ SE ENCONTRAM NO SENADO ACOMPANHADOS DA SUA COMITIVA FORMADA POR ALIADOS, ASSESSORES E INTELECTUAIS





O ex-presidente Lula, presidente afastada Dilma Rousseff e sua comitiva composta por 40 aliados, entre eles ex-ministros, assessores, intelectuais e artistas  já chegaram no Senado para a oitiva da presidenta afastada Dilma Rousseff. Neste quarto dia de julgamento do processo de impeachment, que deverá ser o mais longo de todos, além de apresentar sua defesa, Dilma irá responder a perguntas de parlamentares.

Até às 8h30 da manhã desta segunda-feira, 47 senadores já estavam inscritos para questioná-la. Cada um terá cinco minutos e Dilma terá tempo livre para as respostas. Antes de responder, a petista irá dispor de 30 minutos para sua defesa, mas, segundo o presidente da sessão do julgamento, ministro Ricardo Lewandowski, este tempo poderá ser prorrogado de acordo com a necessidade da petista.

Os convidados da presidente afastada serão 40: 30 deles ficarão nas galerias e 10 -  assessores mais próximos-  na tribuna de honra - entre eles, ministros de sua gestão, como Aldo Rebelo (Defesa) e Jacques Wagner ( Casa Civil) e artistas como o cantor Chico Buarque e atriz Létícia Sabatella. Além deles, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é aguardado para acompanhar a sessão.

Já entre os convidados da acusação, que serão 30, e ocuparão parte das galerias no plenário, estarão representantes de movimentos sociais como o Vem para Rua e Movimento Brasil Livre (MBL), além de uma filha do jurista  Hélio Bicudo, um dos autores da representação. Bicudo enfrenta graves problema de saúde.

Segurança

Nesta segunda-feira, a novidade em relação à segurança é que a Esplanada dos Ministérios foi completamente fechada, desde a Catedral até o prédio do Congresso Nacional. O acesso está sendo feito a pé ou de carro, por vias auxiliares. Ao contrário de outros dias, o gramado na Esplanada - dividido por um muro de 80 metros - já começa a ser ocupado por manifestantes favoráveis e contrários ao impeachment. A Polícia Militar do Distrito Federal faz a segurança no local.

Histórico

Dilma é alvo de um processo de impeachment, por ter editado, em 2015, decretos de crédito suplementar sem autorização do Congresso e também de usar dinheiro de bancos federais em programas do Tesouro [as chamadas pedaladas fiscais]. A petista foi afastada da Presidência da República pelo Senado há mais de 100 dias.



Fonte: Agência Brasil. 

DILMA FAZ HOJE SUA DEFESA NO PLENÁRIO DO SENADO



A presidenta afastada Dilma Rousseff vai hoje (29) ao Senado se defender das acusações de ter cometido crime de responsabilidade em 2015. Ela responde ao processo de impeachment, sob a alegação de ter editado em 2015 decretos de crédito suplementar sem autorização do Congresso e também de usar dinheiro de bancos federais em programas do Tesouro [as chamadas pedaladas fiscais]. A petista foi afastada da presidência da República pelo Senado há mais de 100 dias.

Na última semana, o Senado ouviu os depoimentos das testemunhas de defesa e de acusação na quinta (25), sexta (26) e sábado (27). Dilma começa a falar às 9h. Inicialmente, terá 30 minutos para a apresentação, mas esse tempo poderá ser prorrogado por mais 30 minutos. A critério do presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, que comanda o julgamento do impeachment, a presidenta afastada poderá ter mais tempo na fase inicial.
Depois da fala de Dilma, terão início os questionamentos dos senadores. Cada parlamentar terá até cinco minutos para fazer perguntas. O tempo de resposta de Dilma é livre e não será permitida réplica e tréplica. Dilma também poderá deixar de responder às indagações dos parlamentares.  Mais da metade dos 81 senadores já se inscreveram para questionar Dilma Rousseff.

O depoimento de Dilma será acompanhado no plenário por cerca de 30 convidados dela. Entre eles estão o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente do PT, Rui Falcão, do PDT, Carlos Lupi, vários ex-ministros do governo, além de assessores e outras pessoas próximas. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), colocou à disposição da acusação de Dilma o mesmo número de cadeiras que disponibilizou para a petista.

A expectativa é de que a o depoimento dure todo o dia e se estenda até parte da noite. Os senadores que apoiam o impeachment garantem que não haverá enfrentamentos, mas que irão fazer todos os questionamentos. Eles entendem que o comparecimento da presidenta afastada ao plenário não mudará os votos dos senadores.

Os parlamentares contrários ao impeachment, no entanto, acreditam que a fala dela vai mudar votos. O senador Lindberg Farias (PT-RJ) disse que os aliados de Dilma estão depositando todas as esperanças no depoimento. “Acho que vai ser um dia em que o Brasil vai parar. Acho que a presidenta pode mostrar ao país que está sendo vítima de uma injustiça e que não há crime de responsabilidade. Acho que é um dia que pode virar o jogo”, afirmou.



Fonte: Agência Brasil. 

AGENDA DO CANDIDATO PAULO CESAR - SEGUNDA-FEIRA (29/8)

Foto: Reunião no bairro Praia do Siqueira com nosso amigo e candidato a vereador Nico.





 “Os desafios para o futuro são enormes, na medida em que o Município é parte integrante de um grande processo de mudanças em andamento no mundo inteiro”.

(Paulo César da Guia Almeida)

A meta da nossa gestão é adotar soluções inovadoras em todos os sentidos e realizar uma Administração Pública comprometida com a cultura do povo de Cabo Frio, com vistas nos acontecimentos do mundo. Eu sou o cara que vai fazer Diferente.

     Dando seguimento a minha agenda, confira a programação desta segunda-feira (29):


Manhã

10h – Corpo a corpo no bairro Jacaré;


Tarde

15h30 - Corpo a corpo nos bairros Peró e Cajueiro;


Noite:

19h00 e 20h30 - Reunião com candidatos a vereador no bairro Vila do Ar;

Filmagem.

Att,

--

ASCOM/PC45

domingo, 28 de agosto de 2016

AGENDA DO CANDIDATO MARCELO CRIVELLA - SEGUNDA-FEIRA, 29 DE AGOSTO

Imagem inline 3


11h00 - O candidato Marcelo Crivella (PRB) faz corpo a corpo em frente ao Hospital Municipal Ronaldo Gazolla.

Endereço: Avenida Pastor Martin Luther King Jr, 10.976 – Acari.




11h30 - Crivella participa de carreata de Acari a Pavuna.
Ponto de saída: em frente ao Hosp. Ronaldo Gazolla. 



Att: Marco Aurélio Lisan, jornalista e assessor de imprensa. 

FOTOS - GUARDA MARÍTIMA DE CABO FRIO ENCERRA COM CHAVE DE OURO O CURSO BÁSICO DE SALVAMENTO AQUÁTICO/2016



O Blog Álvaro Neves "O Eterno Aprendiz" acompanhou na tarde da última sexta-feira (26/8), o exercício de simulação de salvamento aquático que foi realizado pelo alunos recém formados do Curso Básico de Salvamento Aquático/2016. 

Curso que foi implementado pela prefeitura de Cabo Frio por meio da Secretária de Ordem Pública e da Guarda Marítima de Cabo Frio; sendo totalmente custeado pelo apoio de vários empresários da nossa cidade e cidades adjacentes. 

Durante o exercício foi realizado uma simulação de uma ação de pronto salvamento e resgate, quando vários tripulantes de uma embarcação a deriva, tomados pelo pânico. Se lançam em auto mar, coroando com esse exercício o término do Curso Básico de Salvamento Aquático/2016. 

Durante o exercício os alunos puderam demonstrar todo o seu aprendizado prático e teórico que receberam ao longo das últimas duas semanas.

A simulação de salvamento marítimo foi acompanhada atentamente pelos parentes e familiares dos formandos, representantes de várias instituições de segurança voltadas para as atividades marítimas da nossa região e de outros estados e a imprensa escrita, falada e televisada da nossa Região.


Veja abaixo fotos do evento que finalizou o Curso Básico de Salvamento Aquático/2016.

Foto: Fotógrafa Fátima Neves .